Tem mais presença em mim o que me falta

Viña del Mar - Santiago

Viña del Mar – Santiago

E às vezes o sol nao nasce, mesmo que o universo faça tudo certo. Às vezes ele nao dá as caras.

Nao ilumina o dia, nao traz calor, nao deixa o dia bonito. É… às vezes ele nao vem.

E como tudo que muda repentinamente do lugar, que sai do habitual, do comum, esse tipo de acontecimento desestabiliza. Tira o chao. Cava um abismo.

Nao é fácil sair da escuridao. Nao é tao fácil enxergar o que precisa ser visto e nao é legal estar sozinho nessa busca.

O mundo gira, a cabeça gira junto. Tudo se move. Menos aquilo que você gostaria que andasse, que tomasse rumo, que alçasse voo.

Falta o sol. Falta a vida. Falta motivaçao.

Falta amor. Falta compreensao também.

Falta identificar-se com algo conhecido, bonito, que tenha alguma referência com aquele tempo em que tudo parecia sorrir. Algo que te arranque da posiçao atual.

E tudo parece longe, fora de alcance. Impossível.

Se o sol soubesse que apenas um raio, um pequeno facho de luz que entrasse aqui, nesse lugar que criei pra me proteger de tudo que nao tenho capacidade  de enfrentar… Se ele soubesse que apenas um pouquinho dele já me ajudaria muito, mudaria tudo! Se ele soubesse…

Já dizia o poeta: “Tem mais presença em mim o que me falta.”

Sou tudo o que me falta: carne, ossos e cabelos. Um coraçao tomado pelo que me falta, mas que nao é ingrato com o que tem. Isso tem que ficar bem claro. O problema é que poucos entendem.

Sigo em busca. Caminhando. Persistindo. Perseguindo. Às vezes esqueço o que, mas nao por muito tempo, só o suficiente para nao enlouquecer.

O sol nao nasceu hoje. Nao nasce há um bom tempo. Mas eu vou dormir na esperança de que ele venha me ver amanha.

Fernanda La Salye – Ouvindo Jason Mraz, “93 Million Miles”

Marley & Eu

Tem saudades que sao gigantes, daquelas que a gente nao sabe se vai suportar. Tenho várias saudades assim. E hoje vou escrever sobre uma delas.

 Mas é só porque me faz falta aquela risada. Mas nao é qualquer risada nao. Estou falando daquela risada que realmente ri com gosto das coisas que compartilha com você e que sempre te reserva o melhor dos sorrisos, um sorriso lindo. Sorriso lindo é o que há, meu bem! E sorriso lindo na cara de gente estupidamente bela é “a cara da riqueza”.

Tenho saudade da inocência doce, capaz de me fazer acreditar que esse mundo ainda tem jeito. Mas também sinto falta de quando me surpreende com algo “maldoso” que ninguém percebeu.

Tenho saudade das viagens, sempre tao bem programadas, divertidas e inesquecíveis. Tenho mais saudade ainda das viagens que nao tivemos tempo de fazer. Mas nao desisti, nao. Eu espero que ela ainda tenha aquela mala enorme, vai precisar.

2010 - Paraty / RJ - Brasil

Saudade de qualquer coisa ser motivo para sair, fazer algo diferente, conversar. Ahhh, conversar! Em alguns momentos do meu dia eu daria tudo por uma conversa com ela. Porque tem dias que você precisa desabafar, contar novidades, dividir a felicidade olhando no olho, no olho de quem se interessa muito por tudo que está relacionado a você.

"Conversa com aqueles que possam fazer-te melhor do que és." (Sêneca)

Tenho saudade dos abraços, de todos eles; sim porque ela talvez nao tenha se dado conta mas tem um tipo de abraço para cada situaçao. Uma especialista no quesito “como fazer alguém se sentir amado”.

"Aquele abraço era o lado bom da vida, mas para valorizá-lo eu
precisava viver.

Apesar de ter saudades da sua voz, ainda consigo escutá-la perfeitamente, mesmo tao longe. O timbre está bem gravadinho aqui dentro de mim. Uma música que me acompanha todos os dias.

E quanta simpatia! Eu sinceramente nao entendo como pode uma única pessoa ser tao agradável. Ela é daquelas que tem uma preocupaçao sincera por você no momento em que te conhece e com tanto carinho, nao te resta outra coisa do que entregar-se ao seu mundo, porque quem conquista este espaço jamais quer perder-lo.

Ela me conquistou pelo que é, sem tirar nem por. Chegou na minha vida no momento exato (Sim, além de tudo, tem um ótimo planejamento e visao além do alcance). Ela viu o que poucos notaram e me deu o que muitos negaram. Nao me pediu nada em troca. Confiou em mim sem reservas. Foi esse encanto todo de pessoa desde o primeiro momento.

Ela sabe do meu amor. Incondicional, inclusive. Amor capaz de, em pleno terremoto, levantar correndo só para “salvar” seu porta-retrato da parede. Nem eu acredito que fiz isso, que embora pareça bobo para muitos, prova que eu nao teria dúvida se nesse momento tivesse que escolher levar o mais importante para mim.

Marley & Eu. É o nome de um filme muito conhecido pela prova de amizade entre uma família e um cao. Da lealdade demonstrada até o último minuto. Do amor e da saudade que nunca acabam mesmo com as separaçoes que a vida ou a morte impoe.

Mas é também a historia, de duas amigas que realmente sao irmas, cúmplices, leais, felizes por ter na outra a melhor das riquezas.

Fernanda Marley, te amo muito! Obrigada por me fazer sentir extraordinária, completa e muito amada. À você, todo o meu amor e o meu coraçao carregado de saudade. 

Marley & Eu

Por Fernanda La Salye, ouvindo “The One” – Alicia Keys

Eu nao tenho vergonha de ser brasileiro

Image

Eu não tenho vergonha de ser brasileiro, não
Sou mistura de negro, europeu e tupi guarani
Todo mundo já sabe meu nome é João, sou cristão.
Deus me deu minha voz pra quem quiser ouvir.

Eu não tenho vergonha de ser brasileiro não
Sou profeta do samba do frevo e do maracatu
Todo mundo já sabe as cores do meu coração.
Ele é verde, amarelo, branco e azul.

Imagine só ver um cavaquinho nas mãos do rei Davi
Imagine só S. Pedro pescando na praia de Itapuã
Imagine só um frevo rasgado dos filhos de Levi
Imagine só o apóstolo Paulo no Maracanã, já pensou…

Imagine só Maria fazendo uma feijoada
Imagine só Isaias pregando na Rocinha
Imagine só Miriã dançando uma timbalada
Imagine só Esaú se vendendo ao jabá com farinha…

Eu não tenho vergonha de ser brasileiro, não
Sou mistura de negro, europeu e tupi guarani
Todo mundo já sabe meu nome é João, sou cristão.
Deus me deu minha voz pra quem quiser ouvir.

Eu não tenho vergonha de ser brasileiro, não
Quero mais florescer no lugar onde Deus me plantou
tô aqui pra cantar minha história, meu povo, meu chão.
Esse Brasil brasileiro que Ele tanto amou.

Imagine só os salmos em moda de viola
Imagine só os profetas virando repentistas
Imagine só o Mestre e os doze batendo uma bola
Imagine só a visão de Jacó pela voz de um sambista a cantar

Imagine só os anjos tocando seus tamborins
Imagine só cuicas nos braços dos serafins
Imagine só pandeiros soando ao invés dos clarins
Imagine só um céu brasileiro bem tupininquim.

Eu não tenho vergonha de ser brasileiro não…
É isso aí, eu não tenho vergonha de ser brasileiro…

Música: “Joao Brasileiro”

Letra: Joao Alexandre

É, estou voltando

Saudade é uma coisa que dói o peito e essa saudade eu preciso matar urgente porque já nao suporto mais esta dor.

Eu tentei e você sabe o quanto eu tentei me afastar de você, afinal, dizem que voce precisa se afastar de tudo o que te remete à lembrança para superar, mas voce insistia em nao cooperar com essa pessima mania de estar em todas as coisas e lugares.

Cheguei ao extremo de jogar tudo fora: fotos, versos, sons, memórias…

Por um momento, por um breve momento, cheguei até a pensar que havia superado a falta que voce me faz. Me iludi com a esperança de que tinha conseguido te esquecer porque por vários meses consegui pensar em voce sem sofrer e até a falar do assunto sem que isso me causasse uma fossa; até que finalmente voce nao era mais o assunto entre os amigos.

Mas hoje, especialmente hoje, a realidade me acordou e me fez enxergar e voltar a sentir tudo como antes, talvez até com mais intensidade.

Comecei a chorar descontroladamente, com aquele medo que só quem viveu um amor nao correspondido pode descrever. O que eu faco com esse amor que nao acaba? Com essa solidao que nao termina? Com essa saudade de voce que nunca vai passar?

Até que voce me fez entender que ninguém tem o direito de te impedir de ser feliz, de te afastar daquilo que te move. Voce, com todo esse jeitinho seu de ser, me fez ver que sair de uma relacao tem que ser uma decisao do casal e nao dos outros. Ninguém pode interferir na sua intimidade, na sua estabilidade emocional, no seu porto seguro.

E voce tem razao. Sempre teve. CHEGA de sofrer porque alguém decidiu o que seria melhor pra mim sem se importar com o que eu sentia. CHEGA de me sujeitar à falta de oportunidade. CHEGA de acreditar que meu destino é viver sem voce. CHEGA de fazer planos sem voce.

Eu sei que voce nunca me rejeitou, sempre esteve aí me esperando, era eu que precisava acreditar no contrário.

Meu amor, há muito o que viver. Há muito o que compartilhar. Há muito o que fazer para apagar o tempo perdido.

Meu amor, minha MÚSICA, ESTOU VOLTANDO. EU SOU LOUCAMENTE APAIXONADA POR VOCE.

Fernanda La Salye

Expressao Musical

Os olhos falam. Falam muito. As maos conduzem, afirmam ideias, mostram a empolgaçao, indignaçao, tristeza ou concordância. As pernas pulam, dançam, caminham, vibram. O sorriso quando se junta ao que é dito com os olhos, ganha muito mais força, vida, alma, sangue, coraçao.

Envolvente é todo aquele que canta, mas aquele se expressa é mais que isso. Passa o que sente, o que a música é capaz de fazer, o quanto letra e música sao maravilhosas em sua essência.

E quando isso acontece, o público deixa de ser mero ouvinte e se torna intérprete, onde cada pessoa na platéia empresta suas emoçoes, verdades e motivaçoes à cançao, tornando-a ainda mais incrível do que se imaginava.

Além da voz, cada cantor tem um corpo. Quando ele consegue unir as duas coisas, produz mais que boa música, produz arte verdadeira, aquela que desperta a colaboraçao por parte de quem ouve.

Fernanda La Salye – ouvindo Agnus Dei

8 músicas que marcaram a história

Todo ano, um novo suposto fenômeno musical ganha horas de execução em rádios e gruda na cabeça. O problema é que, no ano seguinte, ele é substituído e, depois de dois anos, fica difícil até de lembrar uma parte da música que não seja o refrão. Outras canções marcaram para sempre a história, e não só musical, por ter aberto um novo capítulo na arte ou no comportamento. Veja abaixo oito músicas que influenciaram o mundo.

Greensleeves (séc. XVI)


A pintura “My Lady Greensleeves”, de Dante Gabriel Rossetti

Tem gente que acredita que a música é de autoria de Henrique VIII em homenagem a sua então amante Ana Bolena, outros dizem que é de Mozart. Mas a verdade é que há registros de que ela já existia cerca de 200 anos antes de o compositor austríaco ter nascido e sua origem real é desconhecida. Se hoje ela toca em caixinhas de música, no século XVI ela serviu de inspiração para Shakespeare (é citada na comédia As alegres comadres de Windsor), foi tema de quadro de Rosseti (séc. XIX) e aparece até na ópera Turandot (séc. XX), de Ferruccio Busoni. Influenciando artistas e movimentos há tantos anos, deixou sua marca na história.

Eroica – Beethoven (1804)
Seria possível fazer uma lista só com as sinfonias de Beethoven que marcaram a história. A mais conhecida e considerada um ícone da música erudita é a Nona Sinfonia. Mas a terceira, chamada também de Eroica, é tida como marco do início do período romântico pela renovação na música clássica que promoveu. Beethoven, envolvido com os ideais da Revolução Francesa de igualdade, fraternidade e justiça, chegou a dedicá-la a Napoleão Bonaparte, e a sinfonia virou um retrato da época. O seu segundo movimento (a sinfonia é dividida em quatro) é a conhecida “marcha fúnebre” que foi entoada, entre outros momentos, no enterro das vítimas do atentado na Olimpíada de Munique, em 1972.

Amazing Grace – John Newton (1779)

John Newton traficava escravos para a Inglaterra e para os EUA nos idos de 1750 quando o seu navio enfrentou uma grande tempestade. Por ter sobrevivido, ele se converteu ai cristianismo e passou a pregar como pastor. Baseado em seu passado de salvação, compôs Amazing Grace, que se tornou um hino cristão e uma das músicas mais regravadas da história. Apesar de ser inglês, foi da cultura americana que ela virou símbolo. Quem nunca viu um filme hollywoodiano, até daqueles de high school, com uma turma inteira cantando “Aaaamazing grace! Howwww sweet the sound…”. Mesmo se tornando um clichê, ainda faz parte do imaginário religioso e foi tocada em momentos históricos importantes, como nas homenagens às vítimas do 11 de Setembro.

Parabéns para você – Patricia e Mildred Smith Hill (1923)
Pode parecer ridículo para muita gente, mas Parabéns para Você (e sua versão original em inglês) é a música mais tocada do mundo e rende cerca de US$ 2 milhões por ano só com o direito autoral que é pago quando é executada em rádio e TV. Obrigatória em todo aniversário, e considere que todo mundo faz um por ano, ela tem certamente a letra mais conhecida do planeta. A música pode não ter criado um movimento nem representado uma geração, mas não tem que se atreva a dizer que um aniversário seria o mesmo sem o fatídico “parabéns”.

Cross Road Blues – Robert Johnson (1937)
Considerada um dos maiores clássicos do blues, “Cross Road” simboliza o enxuto, mas influente repertório de Robert Johnson. Idolatrado por Eric Clapton, Rolling Stones, Led Zeppelin, entre tantos outros, ele morreu aos 27 anos e deixou de herança 29 canções, o suficiente para marcar gerações de músicos não só de blues, mas de soul, rock, etc. Diz a lenda que Johnson vendeu a alma ao diabo em uma encruzilhada no Mississipi em troca do talento musical e que a simples letra de “Cross Road” (encruzilhada em inglês) poderia ser interpretada dentro deste contexto. Independentemente de ser verdade ou não, ela sintetiza o delta blues, movimento que consolidou o gênero na história da música.

Rock Around the Clock – Bill Haley (1954)
Ela não foi a primeira música de rock da história e seria só mais uma faixa no lado B de um disco. Mas eis que foi escolhida para a abertura e um filme (Blackboard Jungle), estourou nas rádios e acabou se tornando a responsável pela popularização do rock no mundo. O gênero mudou comportamentos, influenciou gerações e lançou um importante capítulo na história da música. “Rock Around the Clock” abriu portas para esta revolução e ainda hoje merece reverência nas pistas de dança.

Like a Rolling Stone – Bob Dylan (1965)
Um sucesso instantâneo quando foi lançada, em 1965, “Like a Rolling Stone” é considerada a música-símbolo do movimento de contracultura dos anos 60 e meados dos 70. Enquanto o rock ainda seguia o padrão de falar de temas leves, como garotas e juventude, Dylan fazia metáforas sobre problemas sociais e política. Isso numa época em que o movimento estudantil ganhava as ruas em protesto seja contra guerras, seja contra a ideologia reinante. Marcou a história da música e das ruas. A canção mereceu até o primeiro lugar em lista das melhores da história feita pela revista Rolling Stone americana com mais de 100 críticos.

Thriller – Michael Jackson (1982)

É a música que dá no me ao disco mais vendido da história (mais de 100 milhões de cópias). Só por isso, já mereceria espaço nesta lista. Mas seus louros não param por ai. É dela também um videoclipe divisor de águas na indústria do gênero, unindo roteiro, coreografia, figurino e, claro, música. Ele foi considerado o clipe mais influente da história em pesquisa feita pelo MySpace no ano passado. Thriller coroou Michael Jackson como representante do pop e um dos símbolos do imperialismo cultural americano na década de 80.

Por Maria Gomes para a SUPERINTERESSANTE