O peso que a gente leva

O perigo da viagem mora nas malas. Elas podem nos impedir de apreciar a beleza que nos espera.
Experimento na carne a verdade das palavras, mas não aprendo.
Minhas malas são sempre superiores às minhas necessidades.
É por isso que minhas partidas e chegadas são mais penosas do que deveriam.
Ando pensando sobre as malas que levamos…
Elas são expressões dos nossos medos. Elas representam nossas inseguranças.
Olho para o viajante com suas imensas bagagens e fico curioso para saber o que há dentro das estruturas etiquetadas.
Tudo o que ele leva está diretamente ligado ao medo de necessitar.
Roupas diversas: de frio, de calor – o clima pode mudar a qualquer momento!
Remédios, segredos, livros, chinelos, guarda-chuva – e se chover?
Cremes, sabonetes, ferro elétrico – isso mesmo!
Microondas? – Comunique-me, por favor, se alguém já ousou levar.
O fato é que elas representam nossas inseguranças.
Digo por mim. Sempre que saio de casa levo comigo a pretensão de deslocar o meu mundo. Tenho medo do que vou enfrentar.
Quero fazer caber no pequeno espaço a totalidade dos meus significados. As justificativas são racionais. Correspondem às regras do bom senso, preocupações naturais para quem não gosta de viver privações. Nós nos justificamos: “Posso precisar disso, posso precisar daquilo…”
Olho ao meu redor e descubro que as coisas que quero levar não podem ser levadas. Excedem aos tamanhos permitidos.
Já imaginou chegar ao aeroporto carregando o colchão para ser despachado?
As perguntas são muitas… E se eu tiver vontade de ouvir aquela música? E o filme que costumo ver de vez em quando, como se fosse a primeira vez?
Desisto. Jogo o que posso no espaço delimitado para minha partida e vou.
Vez em quando me recordo de alguma coisa esquecida, ou então, inevitavelmente concluo que mais da metade do que levei não me serviu pra nada.
É nessa hora que descubro que partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.
E então descobrimos o motivo que levou o poeta a cantar: “Bom é partir. Bom mesmo é poder voltar!”
Ele tinha razão. A partida nos abre os olhos para o que deixamos.
A distância nos permite mensurar os espaços deixados.
Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo. Ao ver o mundo que não é meu, eu me reencontro com desejo de amar ainda mais o meu território.
É consequência natural que faz o coração querer voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou. É como se a voz identificasse a raiz do grito, o elemento primeiro.
Vida e viagens seguem as mesmas regras. Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade de viver.
Por isso é necessário partir. Sair na direção das realidades que nos ausentam.
Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto de nossas lamúrias… Hospitais, asilos, internatos…
Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que não doi na nossa carne, mas que de alguma maneira pode nos humanizar.
Andar na direção do outro é também fazer uma viagem. Mas não leve muita coisa. Não tenha medo das ausências que sentirá. Ao adentrar o território alheio, quem sabe assim os seus olhos se abram para enxergar de um jeito novo o território que é seu.
Não leve os seus pesos. Eles não lhe permitirão encontrar o outro.
Viaje leve, leve, bem leve. Mas se leve.
Por Padre Fábio de Melo
Anúncios

Tenho aprendido

Algumas vezes saí para cantar sem nenhum ânimo e cheia de problemas. E nessas ocasioes, nao faltaram pessoas pra me dizer que naquele dia, a minha música fez diferença na vida delas.

A partir desse dia, nunca mais pensei nos meus problemas antes de cantar. 

Uma vez eu menti para uma pessoa que eu amava. Foi quando ela me disse: “tomei essa decisao baseada no que você me disse.”

A partir desse dia comecei a pensar mais antes de falar e a cobrar menos das pessoas.

Anos atrás um amigo me contou um segredo que erroneamente dividi com outra pessoa. Com toda a razao, fui obrigada a escutar que se ele confiasse em outra pessoa como confiava em mim, teria contado o segredo a essa pessoa também.

Nesse dia aprendi que confiança nao pode ser quebrada e que é um privilégio despertar este sentimento em alguém.

Já fui a um encontro de amigas sem ânimo algum e depois recebi um email lindo que dizia: “Obrigada pelo seu silêncio ontem. Eu só precisava ser ouvida.”

Desde entao, dou toda a atençao do mundo a quem precisa de mim.

Aniversário de uma amiga e eu sem grana. Comprei algo bem baratinho e fui à festa. Ganhei o dia quando disse: “As coisas simples da vida sao as mais marcantes”.

Foi nesse dia que deixei de dar mais peso ao dinheiro do que à lembrança.

Aprendi. E sigo aprendendo.

Aprendendo que de fato nao sou uma ilha. Uma atitude minha vai SIM respingar em alguém. Está em mim determinar o quanto quero ser positiva na vida do outro.

Meu melhor aniversário

Sempre ouvi dos meus amigos que quando estavam próximos a fazer 30 anos passaram por um misto de preocupaçao e expectativa.

Comigo nao foi diferente: Assusta um pouco a ideia de que você já nao é tao jovenzinha assim e que por isso, nao dá pra ficar “brincando” de adiar decisoes importantes. Parece que realmente cai a ficha de que um novo ciclo começa, bem mais maduro e nem por isso, menos feliz.

Acabo de fazer 30 anos. Levo só 1 dia com essa idade, ou seja, é tudo muito novo mesmo pra mim. Mas posso dizer que nunca estive tao bem.

Ainda tenho muito o que viver, que conquistar. Mas nao tenho palavras para descrever a sensaçao de olhar para tudo e todos que tenho ao meu lado e sentir-me realizada. Nao tem preço. Nao tem.

Foi de longe a melhor das comemoraçoes. Curioso isso porque eu sempre quis um mega aniversário de 30 anos e sempre associei essa comemoraçao a uma viagem, que nao sei dizer o porque, eu nao a planejei. Talvez porque tudo o que tenho vivido esteja tao feliz que nem me dei conta de que a data se aproximava.

Mas repito, foi de longe o melhor dos aniversários e a culpa é toda dele: Narciso Campos, minha Vida.

Tudo começou na sexta-feira, dia 08 de junho. Eu nao desconfiei de nada e fui almoçar com ele. Foi quando ele me entregou esse cartaozinho da foto e disse: “Declaro aberta a temporada de comemoraçoes”. O primeiro presente foi passar a tarde no Spa, com todos os cuidados que uma mulher adora: limpeza facial, massagem, sem contar que eu já passaria pelo salao de beleza para hidratar o cabelo, fazer as unhas, e etc. Foi um presente super original e de muito bom gosto. Mas ele é assim: se preocupa com cada detalhe.

A partir daí só fiquei na expectativa de coisas boas porque eu sabia que ele nao pararia por aí, embora já estivesse ótimo!

Saindo do Spa, me levou para jantar em um restaurante italiano, lógico, a comida que mais gosto. Huuuuum, estava perfeito. Delicioso! Massa e molhos preparados na hora, com entradas maravilhosas e sobremesas incríveis!

No outro dia, fui surpreendida com um delicioso café da manha preparado por ele, com direito a pao de queijo, algo nao tao simples de encontrar aqui no Chile.

Como se nao bastasse, ele também se preocupou com a minha vontade de viajar e tentou encontrar uma maneira de realizar isso dentro do pouco tempo que tínhamos: Me levou até Isla Negra (Litoral central Chileno) para conhecer a Casa de Pablo Neruda, um dos meus poetas favoritos! Ahhh, nem preciso dizer o quanto isso me surpreendeu! Escrever está entre as minhas paixoes e visitar a casa de um escritor que tanto admiro em um lugar tao lindo, foi incrível. Uma grande prova de que se importa com o que eu gosto, com o que me faz feliz.

O dia 9 de junho terminou com uma festa surpresa que ele preparou em um Karaoke com todos os meus amigos do Chile. Delicioso ter uma festa com pessoas maravilhosas quando você está longe da sua família. Me senti amparada. E começar oficialmente meu aniversário cantando, foi especial. O dia 10 de junho começou com música e isso me fez resgatar um lado meu que nao pode deixar de existir nesta nova década.

Passado tudo isso, ele me disse: “Eu espero que você tenha gostado porque eu nao quis te dar um presente, quis te dar uma sensaçao”.

Meu amor, obrigada pelo carinho, pela dedicaçao, por tudo o que você fez por mim e faz todos os dias. Você é a prova do cuidado de Deus por mim. Nao tenha dúvidas do quanto eu te amo. Eu nao poderia começar melhor meus 30 anos. Viajem nenhuma me daria a sensaçao de paz, tranquilidade, realizaçao e felicidade que você me dá.

Com amor, Vida.

O que meus 30 anos me ensinaram

 – Aprender a andar é um dos primeiros desafios de um ser humano, onde o simples fato de ter alguém sorrindo e com os braços abertos do outro lado; é a melhor recompensa.

– Mae é o único amor à primeira vista que nao é utopia.

– Pai é sempre o cara que a gente tem um pouco mais de medo mas que no fundo faz um esforço enorme pra gente acreditar que ele é mais bravo do que realnente é.

– Depois do útero, a família é a maneira que Deus encontrou de fazer um bebe sentir-se seguro e parte do todo. Um elo eterno.

– Nossos irmaos sao peças fundamentais para uma infancia mágica e um futuro colorido, quer sejam irmaos de sangue ou aqueles que deseguinamos para este posto e isto inclui adotivos, primos ou amigos.

– Criança nao sabe o que é melhor pra ela. Às vezes o adulto também nao.

– A escola é a primeira grande fonte de conhecimento, inclusive daquilo que os pais mais temem que seus filhos conheçam.

– O que os seus pais fazem têm mais peso do que o que eles dizem que fazem.

– Pertencer a uma religiao tem inúmeros benefícios quando a sua motivaçao é sincera e quando isso nao te faz pensar que é melhor do  que aquele que nao tem uma religiao.

– Coisas sao substituíveis, pessoas nao. Valorize quem está ao seu lado.

– Minha avó nao teve celular, computador ou internet e nem por isso seus dias eram monótonos, desatualizados ou incomunicáveis.

– A tecnologia aproximou muita gente. A tecnologia afastou muita gente.

– Minha profissao nunca será o maravilhoso mundo dos negócios que me contavam na faculdade.

– É na dificuldade que os verdadeiros amigos se revelam e os inimigos também.

– Decepçao é o resultado de grandes expectativas. Devagar com o andor, que o santo é de barro.

– Poucas coisas reúnem em si mesmas o poder de libertar e aprisionar como o cartao de crédito.

– Mulheres curam a dor de um amor com um novo amor e os homens com um carro novo.

– É possível amar, rir, sonhar, traçar planos, viajar e mudar de vida apenas lendo um livro.

– É impossível viver algo bom sem música.

– A mulher que nunca curou uma depressao indo ao shopping, nao sabe o bem que a terapia do salto alto, da maquiagem e da bolsa nova podem causar.

– Mulheres adoram elogios masculinos sobre seu visual, mas seu alvo sempre serao as outras mulheres.

– Se você quer um ambiente de trabalho prático e sem competiçoes, seu chefe tem que ser homem. Se você quer organizaçao e criatividade, prefira a inconstancia hormonal feminina.

– Aquele que nao dedica algumas horas pra si nao pode ser uma boa companhia para os outros.

– Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

– Seja ousado o suficiente para dizer: eu quero, eu gosto, eu estou com vontade. Porque lá na frente, você vai se dar conta de que aquilo que hoje te causa medo, tristeza e dor, virará uma fraca lembrança e que só o sorriso pode resistir a todas as ciladas do tempo.

– Ter alguém não significa não ter mais ninguém ao redor. Às vezes você vai querer jantar com um amigo ou terá desejo de ir a uma festa sem o seu companheiro e ele também. Para namorar ou viver um grande amor nao é preciso “terminar” com os amigos.

– Controle o ciúmes. As pessoas são encantadoras, bonitas e sensuais, eu sei. Mas você e ele possuem um pacto, explícito ou não, com ou sem data de validade, que os mantém unidos e leais um ao outro. No dia em que ele deixar de ser válido, vocês sentam e conversam. Até lá, viva sem medo. Ou tenha a coragem de enfrentá-lo.

– O dinheiro mais bem gasto é aquele que você destinou para as suas viagens.

– Fotos nunca sao demais. Sempre chega o dia em que as fotos sao tudo o que você tem.

– Algumas pessoas ocupam dentro de nós um espaço inconfessável que nem nós às vezes sabemos como ela conquistou isso.

– A gente se acostuma a tudo, até ao que nao deveria ter aceitado jamais.

– Talvez é pior do que nao.

– Liberdade é  a possibilidade do isolamento e um desejo que sofre mudanças todos os dias.

– A neve é realmente mágica.

– Jesus pode salvar e amar a todos, inclusive os cristaos.

– “Parabéns para você” é a música mais tocada do mundo e rende cerca de US$ 2 milhões por ano só com o direito autoral que é pago quando é executada em rádio e TV.

– Nao importa se a situaçao é boa ou ruim, ela mudará.

– É melhor ser feliz do que ter razao.

– Ser uma pessoa boa hoje em dia é feio, é indevido. Ainda assim, prefiro nao mudar meus princípios. Como diria uma grande amiga: “Eu rasgo a minha Bíblia se eu tiver que deixar de ajudar alguém só porque esse alguém um dia vai desdenhar de mim.”

– Você está a beira de um mar humano e a maré está alta. Mergulhe. Só assim terás histórias para contar, seja qual for o final que tenham.

– Cada pessoa é única e exclusivamente dela mesma. Podemos perder roupas, sapatos, documentos, porém jamais podemos perder uma pessoa.

– Ninguém pode acabar com o risco do amor, por isso só é possível estar em estado de amor quando sabemos estar em um estado de risco.

– Mais vale 1 amigo na agenda telefônica que 1000 amigos no Facebook.

– Nenhuma contrariedade humana pode impedir Deus de realizar a obra que Ele começou na sua vida.

–  O mais importante na vida é ter um respeito tão grande por si mesmo, a ponto de ouvir tudo de todos, mas só levar em consideração o que realmente importa, porque não existe outra maneira de ser feliz.

– Viva a sua história e seja sempre você mesmo. Esta é a dignidade do seu legado.

– Uma sensaçao vale mais que mil presentes.

– Regra nº 1 para uma amizade eterna: Nao se pede um golinho de Yakult. Simples assim.

– Fomos feitos à Sua imagem e semelhança. Incrível! Deus é a minha cara!!! Uma descorberta libertadora e cheia de responsabilidades.

– O que você faz na adolescência pode ser motivo de alegria ou arrependimento pelo resto da vida.

– Maes sao bruxas. Experimente sair sem blusa quando ela disser que vai esfriar, sem guarda-chuva quando ela disser que vai chover, e sem vergonha na cara quando ela disser para você nao procurar aquele cara que nao te liga nunca.

– Sinceridade nao significa falta de tato. Cuidado com a maneira com que você fala com uma pessoa.

– O Deus que eu mereço nao existe. O Deus que existe nao me merece.

– Paris é um luxo, a Suíça é fantástica, o Chile é encantador, a Argentina é aconchegante, o Brasil é maravilhoso. A minha casa ainda é o melhor lugar do mundo.

– Nao existe povo mais alegre e de bem com a vida (ainda que sofrendo), como os brasileiros. Eu sempre soube, mas ouvir de outros povos é bom demais.

– O apoio vem de onde menos se espera.

– Os mulherengos e as mulheres independentes também amam só que pagam um preço alto para que o outro acredite nisso.

– Contos de fadas existem e sao infinitamente melhores do que contam os livros.

–  Amor de verdade só acontece uma vez. Nas outras oportunidades a gente se adapta.

– Estar realizado emocionalmente é a chave do sucesso em tudo. Nada pode dar certo sem amor e sem sentir-se amado.

– Viver é o melhor dos presentes, principalmente quando este presente é o resultado de um trabalho literalmente DIVINO.

Fernanda La Salye

Casos Inacabados – Algumas pessoas ocupam dentro de nós um espaço inconfessável

Tem gente que vai ficando na nossa vida. A gente conhece, se envolve, termina, mas não coloca um ponto final. De alguma forma a coisa segue. Às vezes, na forma de um saudosismo cheio de desejo, uma intimidade que fica a milímetros de virar sexo. Em outras, como sexo mesmo, refeição completa que mata a fome mas não satisfaz, e ainda pode causar dor de barriga. Eu chamo isso de caso inacabado.

Minha impressão é que todo mundo tem ou teve alguma coisa assim na vida. Talvez seja inevitável, uma vez que nem todas as relações terminam com o total esgotamento emocional. Na maior parte das vezes, temos dúvida, temos afeto, temos tesão, mas as coisas, ainda assim, acabam. Porque o outro não quer. Porque os santos não batem. Porque uma terceira pessoa aparece e tumultua tudo. Mas o encerramento do namoro (ou equivalente) não elimina os sentimentos. Eles continuam lá, e podem se tornar um caso inacabado.

Isso às vezes acontece por fraqueza ou comodismo. Você sabe que não está mais apaixonado, mas a pessoa está lá, dando sopa, e você está carente… Fica fácil telefonar e fazer um reatamento provisório. Se os dois estiverem na mesma vibração – ou seja, desapaixonados – menos mal. Mas em geral não é isso.

Quase sempre nesse tipo de arranjo tem alguém apaixonado (ou pelo menos, dedicado) e outro alguém que está menos aí. A relação fica desigual. De um lado, há uma pessoa cheia de esperança no presente. Do outro, alguém com o corpo aqui, mas a cabeça no futuro, esperando, espiando, a fim de algo melhor.

Claro, não é preciso ser psicólogo para perceber que mesmo nesses arranjos desequilibrados a pessoa que não ama também está enredada. De alguma forma ela não consegue sair. Pode ser que apenas um dos dois faça gestos apaixonados e se mostre vulnerável, mas continua havendo dois na relação. Talvez a pessoa mais frágil seja, afinal, a mais forte nesse tipo de caso. Pelo menos ela sabe o que está fazendo ali.

A minha observação sugere, porém, que boa parte dos casos inacabados não contém sexo. A pessoa sai da sua cama, sai até da sua vida, mas continua ocupando um espaço na sua cabeça. Você pode apenas sonhar com ela, pode falar por telefone uma vez por mês ou trocar emails todos os dias. De alguma forma, a história não acabou. A castidade existe, mas ela é apenas aparente. Na vida emocional, dentro de nós, a pessoa ainda ocupa um espaço erótico e afetivo inconfessável.

Esse tipo de caso inacabado é horrível. Ele atrapalha a evolução da vida. Com uma pendência dessas, a gente não avança. Você encontra gente legal, mas não se vincula porque sua cabeça está presa lá atrás. Ou você se envolve, mas esconde do novo amor uma área secreta na qual só cabem você e o caso inacabado. A coisa vira uma traição subjetiva. Não tem sexo, não tem aperto de mãos no escuro, mas tem uma intimidade tão densa que exclui o outro – e emocionalmente pode ser mais séria que uma trepada. Ainda que seja mera fantasia.

A rigor, a gente pode entrar numa dessas com gente que nunca namorou. Basta às vezes o convívio, uma transa, meia transa, e lá está você, fisgado por alguém com quem nunca dormiu – mas de quem, subjetivamente, não consegue se esquivar. Telefona, cerca, convida. Estabelece com a pessoa uma relação que gira em torno do desejo insatisfeito, do afeto não retribuído. Vira um caso inacabado que nunca teve início, mas que, nem por isso, chega ao fim. Um saco.

Se tudo isso parece muito sério, relaxe. Há outro tipo de caso inacabado que não dói. São aquelas pessoas de quem você vai gostar a vida toda, cuja simples visão é capaz de causar felicidade. Elas existem. Você não vai largar a mulher que ama para correr atrás de uma figura dessas, mas, cada vez que ela aparecer, vai causar em você uma insurgência incontrolável de ternura, de saudades, de carinho. O desejo, que já foi imenso, envelheceu num barril de carvalho e virou outra coisa, meio budista. Você olha, você lembra, você poderia querer – mas já não quer. Você fica feliz por ela, e esse sentimento é uma delícia.

Para encerrar, uma observação: o alcance e a duração dos casos inacabados dependem do momento da vida. Se você está solto por aí, vira presa fácil desse tipo de envolvimento. Acontece muito quando a gente é jovem, também se repete quando a gente é mais velho e está desvinculado. Mas um grande amor, em qualquer idade, tende a por as coisas no lugar. Uma relação intensa, duradoura, faz com que a gente coloque em perspectiva esses enroscos. Eles não são para a vida inteira, eles não determinam a nossa vida. Quem faz diferença é quem nos aceita e quem nós recebemos em nossa vida. O que faz diferença é o que fica. O resto passa, que nem um porre feliz ou uma ressaca dolorosa.

(Ivan Martins escreve às quartas-feiras para a Revista ÉPOCA)

Hola VIDA, ¿qué tal?

Image

Abre tus ojos, mira dentro. ¿Estás satisfecho con la vida que estás viviendo?

Actualmente la gente no vive, sino que llena sus días de compromisos, trabajos, actividades, de todo lo que no es “vida”.

Con tanto que hacer, no hay tiempo para soñar más, aprovechar la luz y apreciar un día más de vida. Todo el mundo trata de realizar algo grande, sin darse cuenta de que la vida se compone de cosas pequeñas.

He aprendido que las cosas más bellas del mundo no se ven ni se tocan, sólo se sienten en el corazón y que uno no puede decir que vivió si no experimentó estos sentimientos.

La vida no se mide por las veces que respiras, sino por aquellos momentos que te dejan sin aliento.

Pero también es verdad que la vida es tan corta y el oficio de vivir tan difícil, que cuando uno empieza a aprenderlo, ya hay que morirse.

Fernanda La Salye

Sou um péssimo pastor

 

Desculpe-me, mas sou um péssimo pastor…

…porque eu não vou mudar a minha voz para que você sinta segurança, achando que tenho alguma autoridade, quando eu falar;

…porque eu não vou pensar por você para facilitar sua jornada espiritual;

…porque eu não vou falar mais alto do que você precisa para ouvir;

…porque eu não vou lhe ensinar a determinar ou dar ordens ao Pai, como um filho mimado o faz;

…porque eu não lhe dizer que você é um vencedor quando o a sua espiritualidade está falida;

…porque eu não vou lhe ensinar a temer a Deus mais do que a amá-lo;

…porque eu não lhe direi que você é especial simplesmente por estar frequentando uma Igreja;

…porque eu não alimentarei o seu ego pregando somente as coisas que você gosta de ouvir;

…porque eu não lhe ensinarei a ser próspero a qualquer custo enquanto o mundo morre de fome;

…porque eu não lhe ensinarei a mover as mãos de Deus através de uma oferta sacrificial;

…porque eu não lhe direi que Deus me revelou algo que não está no texto, somente para fazer a mensagem melhor para você;

…porque eu não lhe direi que você não pode beber, se tatuar, ouvir músicas que não tocam na Igreja somente para facilitar o meu pastoreio;

…porque eu não vou lhe ensinar que a igreja de quatro paredes é a casa de Deus;

…porque eu não vou lhe ensinar que se você entregar o dízimo sua responsabilidade com os necessitados estará cumprida;

…porque eu não vou transformar a reunião do culto numa rave para que você fique atraído pelo ambiente;

…porque eu não vou lhe ensinar a marchar por Jesus, enquanto Ele quer que marchemos pelo próximo;

…porque eu não lhe darei uma lista do que pode ou do que não pode para você farisaicamente siga um mandamento no lugar de um Deus;

…porque eu não lhe ensinarei que há um Diabo maior do que a Bíblia conta somente para você poder colocar em alguém a sua culpa;

…porque eu não lhe ocultarei os meus erros para você pensar que é liderado por alguém melhor que você;

…porque eu não vou falar em nenhuma outra língua além da que você consegue compreender;

…porque eu não lhe tratarei melhor por causa do carro que você anda, da roupa que você veste ou do dinheiro que você põe no gazofilácio.

Dentre muitas outras coisas que poderia dizer: fique certo: sou um péssimo pastor.

Autor: Felipe Costa